MICOSES

 
As micoses são causadas por fungos que gostam do calor, pois este favorece a sua propagação.
Praticamente todas as pessoas estão expostas ao contágio, pois os fungos proliferam um pouco por toda a parte, reproduzindo-se quando estão reunidas as condições ideais que conjugam temperatura elevada, humidade e escuridão.
 
Existem dois tipos de micoses no pé:
 
Qualquer que seja a sua forma as micoses são muito incómodas.
Existe tratamento, mas deve sempre ser recomendado por um podologista. É quase sempre prolongado não devendo ser interrompido assim que terminem os sintomas, pois os fungos podem resistir nas camadas mais profundas da pele.
 
 
Os pés são áreas cutâneas constantemente submetidas à acção do calor e humidade. Estes dois factores para além de favorecerem a colonização e desenvolvimento dos fungos, promovem localmente a maceração e fissuração da pele. Assim, estão reunidas as condições necessárias para a instalação da infecção fúngica.
 
A dermatomicose mais frequente e conhecida é o, vulgarmente chamado, pé-de-atleta.
Estima-se que cerca de 21% da população adulta possa estar afectada por pé de atleta.
Normalmente entre o 4º e 5º dedos, esta patologia causa prurido, descamação, maceração e fissuras podendo estender-se às outras pregas interdigitais, à superfície plantar dos pés e até pode atingir as unhas.
 
O nome ‘pé de atleta’ (quando localizado entre os dedos), deve-se ao facto desta forma de dermatomicose afectar mais frequentemente os desportistas. Devido ao facto da transpiração proporcionar um ambiente favorável ao seu desenvolvimento (as pessoas que suam muito dos pés deverão ter pelo menos dois pares de palmilhas personalizadas que deverão alternar, ou dois pares de sapatos, permitindo a um secar enquanto utilizam o outro), o desporto é um dos maiores aliados desta patologia. Contudo, nem tudo o que aparece nos pés de um desportista é pé-de-atleta e nem só os desportistas têm pé-de-atleta. Também a população em geral pode ser afectada, sendo mais frequente nos homens do que nas mulheres.
 
Sintomas:
- Prurido (comichão)
- Borbulhas pequenas
- Dor
- Maceração, descamação e gretas interdigitais
- Descamação, secura e/ou fissuras nos bordos laterais dos pés
- Inflamação e rubor da pele
 
Se a pele não for tratada pode continuar a abrir fissuras e gretas, podendo levar a um grande desconforto e dor, bem como, proporcionar um cheiro desagradável.
Contudo, os fungos que originam o pé de atleta não revelam grande virulência.
 
Importa salientar que o número de géneros e espécies de fungos existentes no ambiente é normalmente muito elevado (230 mil tipos de fungos), mas que apenas alguns originam pé de atleta e outras micoses.
  
 
As onicomicoses são infecções das unhas causadas por fungos que se desenvolvem facilmente alimentando-se de queratina (substância responsável pela rigidez das unhas). Além de afectarem gravemente as unhas dos pés, são bastante incómodas e de aspecto desagradável, podendo tornar-se muito dolorosas.
Normalmente surgem por exposição directa aos fungos ou por contágio (pé-de-atleta).
 
Habitualmente, a unha do dedo grande é a primeira a ser afectada. No entanto, todas as outras unhas do pé podem também ser afectadas.
Os primeiros sinais da doença correspondem à modificação da cor da unha (amarelada, acastanhada ou esbranquiçada), ao seu engrossamento, ao aparecimento de depósito (tipo farinha) por baixo da unha, e/ou alteração da forma.
 
As onicomicoses limitam as actividades normais das pessoas, pois tornam doloroso o uso de sapatos, condicionam o andar, para além de serem extremamente desconfortáveis, inconvenientes e embaraçosas.
  
Factores de Contágio:
·   Locais fechados e pouco arejados, nomeadamente locais húmidos e quentes como ginásios, balneários, piscinas, saunas, instalações de apoio dos veraneantes e praias
·   Susceptibilidade/sensibilidade por parte de cada pessoa, mas cuja natureza é ainda desconhecida
·   Baixa imunidade do organismo, que pode ser devida a stress, doenças como a sida e a diabetes, quimioterapia, entre outros
·   Partilha de toalhas, tapetes, meias, sapatos
·   Praticantes de desporto
·   Pessoas menos novas
·   Profissionais de limpeza e jardinagem
·   Quem tem problemas como a diabetes, obesidade, podológicos, doenças cardiovasculares e imunodeficiências, etc.
 
Existem ainda os efeitos psicológicos da doença:
- Causa embaraço e vergonha;
- Provoca medo de contágio a outras pessoas;
- Provoca perda de auto estima, ansiedade e isolamento social.
 
Não esqueça: a interrupção do tratamento favorece a persistência do fungo, ou a sua recaída.
 
O acompanhamento podológico de pessoas com onicomicose garante tratamentos eficazes, principalmente após o resultado de análise ao fungo (procedimento existente na DOUTORPÉ), contribuindo desta forma para a melhoria substancial da qualidade de vida destes doentes.
 

Como tal, deve consultar o seu podologista para indicação do tratamento mais adequado ao seu caso.



«VOLTAR»

Powered by WebExpress